quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Curitiba: Estudante de Direito é presa pela 2ª vez em menos de 1 ano


Jovem tem 20 anos (Foto: Reprodução Facebook)

Pela segunda vez em menos de um ano uma estudante de direito foi presa em Curitiba. Mayara Borcatti da Silva foi detida nesta quarta-feira (17), suspeita de envolvimento com uma quadrilha de caixas eletrônicos.

A estudante foi detida pela primeira vez em setembro de 2015. Na ocasião, a polícia encontrou com ela 2 kg de crack. A droga pertencia a um grupo de traficantes. Ela era casada com um desses suspeitos.

Conforme as novas investigações, ela era a responsável por cuidar dos veículos que a quadrilha roubava para usar nos crimes contra os caixas eletrônicos. “Ela faz parte dessa organização criminosa. Foi denunciada como sendo um elemento importante que auxiliava os marginais, na guarda dos veículos roubados que posteriormente seriam usados”, explicou o delegado Rodrigo Brown.

Ainda segundo a polícia, a quadrilha da qual a estudante fazia parte cometia crimes principalmente no interior do estado.

Mayara era procurada pela Polícia Civil havia dois meses. De acordo com a polícia, Mayara morava no Bairro Alto, mas ao saber do novo mandado de prisão contra ela acabou mudando de endereço. Ela foi encontrada em um apartamento de luxo, no bairro Água Verde.

O delegado também explicou que a polícia sempre teve desconfiança da participação da estudante na quadrilha de roubos a caixas eletrônicos. No entanto, não havia elementos para liga-la diretamente às atividades do grupo. “Ficou clara a participação dela e de outras mulheres também, como auxiliadoras dos bandidos, ou seja, não participavam diretamente do roubo, mas auxiliavam guardando armas, guardando veículos roubados, dando suporte para as quadrilhas”, afirmou o delegado.

Agora detida, Mayara deverá ficar à disposição da Justiça.

fonte: Portal G1

Garçons do RJ estão faturando com Gorjetas dos Turistas nas Olimpíadas 2016

Bar em Copacabana lotado de gringos (Foto: Patricia Teixeira/G1)

Quitação de carro, reforma na casa, investimento em cursos e uma bela viagem ao Ceará. Esses e muitos outros planos estão sendo feitos por garçons de bares do Rio por conta da gorjeta caprichada – além dos 10% usuais sobre o valor da conta – que têm recebido dos estrangeiros, hospedados na cidade para a Olimpíada.

Bares lotados, consumo acima das expectativas e uma gorjeta que faz qualquer pessoa abrir um largo sorriso. Em alguns estabelecimentos da Lapa, de Copacabana e do Leblon, visitados pelo G1, garçons estimam arrecadar até R$ 7 mil só com a famosa "caixinha", até o final da Paralimpíada – que acontece entre 7 e 18 de setembro.

Foi difícil fazer Pedro Araújo, mais conhecido como Juninho, do Bar Jobi, no Leblon, parar cinco minutos para dar entrevista. Conhecido por lá como "garçom simpatia", Juninho é um dos funcionários que mais ganham gorjetas e também um dos mais assediados.

"Atendo a mais de cem gringos por dia, eles são mão aberta, sabem gratificar bem a gente. Mas eu fico feliz mesmo de poder atendê-los e não me incomodo quando não recebo. Mas, claro, que a gente gosta de ganhar um dinheirinho a mais", conta Juninho, que trabalha há 22 anos no bar e é amigo de vários clientes.

Segundo o garçom, a gorjeta extra tem variado de R$ 10 a R$ 50 por estrangeiro. Um crescimento de mais de 100% comparado a meses anteriores. "Hoje mesmo ganhei R$ 150 de uma única pessoa".

Se tudo der certo, Juninho quer chegar aos R$ 7 mil, que colocou como meta. "Quero levar minha mulher e meus filhos para uma viagem para o Ceará", revelou o veterano na arte de servir bem o freguês.

fonte: Portal G1

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Regras das Eleições 2016: Candidatos devem respeitar a Legislação

Propaganda intrapartidária 
Ao candidato que pretende concorrer nas eleições de outubro, a lei permite que ele possa fazer propaganda intrapartidária, nos 15 dias anteriores à convenção do partido, com o objetivo de promover a indicação de seu nome. Pode inclusive colocar faixas e cartazes em local próximo à convenção, com mensagem dirigida aos convencionais, sendo proibido, no entanto, o uso de rádio ou televisão e de outdoor. As regras determinam que essa propaganda deve ser imediatamente retirada logo após o evento. 
As convenções dos partidos para deliberar sobre coligações e escolha de candidatos a prefeito, vice-prefeito e a vereador devem ocorrer de 20 de julho a 5 de agosto. 
Propaganda antecipada 
A lei não considera propaganda eleitoral antecipada se não houver pedido explícito de voto, menção a uma pretensa candidatura, e a exaltação das qualidades pessoais dos pré-candidatos. Permite a participação de filiados a partidos ou de pré-candidatos em entrevistas, programas, encontros ou debates no rádio, na televisão e na internet, inclusive com a exposição de plataformas e projetos políticos. As emissoras de rádio e TV devem dar tratamento isonômico aos pré-candidatos. 
Será considerada propaganda eleitoral antecipada a convocação por parte do presidente da República, dos presidentes da Câmara dos Deputados, do Senado Federal e do Supremo Tribunal Federal (STF), de redes de radiodifusão para divulgar atos que denotem propaganda política ou ataques a partidos e seus filiados ou instituições. 
Propaganda eleitoral geral 
Qualquer que seja a sua forma ou modalidade, a propaganda eleitoral sempre mencionará a legenda partidária e só poderá ser feita em língua nacional. Além disso, não deverá usar de meios publicitários destinados a criar, artificialmente, na opinião pública, estados mentais, emocionais ou passionais.  
Para a eleição majoritária (prefeito e vice-prefeito), a propaganda da coligação utilizará, obrigatoriamente, sob sua denominação, as legendas de todos os partidos que a compõem. A propaganda dos candidatos a cargo majoritário deverá conter também os nomes dos candidatos a vice, de modo claro e legível, em tamanho não inferior a 30% do nome do titular. Já na propaganda para a eleição proporcional (vereador), cada partido usará somente a sua legenda sob o nome da coligação. 
A lei estabelece que a realização de qualquer ato de propaganda partidária ou eleitoral, em local aberto ou fechado, não depende de licença da polícia. 
Alto-falantes, showmícios, brindes e outdoors 
É permitido o uso de alto-falantes ou amplificadores de som na propaganda eleitoral somente das 8h às 22h, sendo proibido o uso desses equipamentos a menos de 200 metros das sedes dos Poderes Executivo e Legislativo da União, dos estados, do Distrito Federal, dos municípios, hospitais, casas de saúde, escolas, bibliotecas públicas, entre outras instituições. 
A Lei das Eleições (Lei nº 9.504/97) proíbe também a realização de showmício e de evento assemelhado para promover candidatos. E, ainda, a apresentação, remunerada ou não, de artistas com a finalidade de animar comício e reunião eleitoral. 
Também é proibido ao candidato ou comitê distribuir na campanha brindes, camisetas, chaveiros, bonés, canetas, cestas básicas ou qualquer outro bem ou material que possa proporcionar vantagem ao eleitor. Neste caso, o infrator poderá responder pela prática de compra de voto, uso de propaganda vedada e, conforme a conduta, por abuso de poder. 
A propaganda eleitoral por meio de outdoors, inclusive eletrônicos, não é permitida. A empresa responsável, os partidos, as coligações e os candidatos que desrespeitarem essa regra estão sujeitos à imediata retirada da propaganda irregular e ao pagamento de multa no valor de R$ 5 mil a R$ 15 mil. 
Não é possível o uso de engenhos ou de equipamentos publicitários ou de conjunto de peças de propaganda que, justapostas, se assemelhem ou causem efeito visual de outdoor. 
O ministro Admar Gonzaga observa que as regras da propaganda eleitoral buscam coibir as práticas e os abusos que causam desequilíbrio na disputa entre os candidatos. “Justamente o abuso, ou seja, uma propaganda antecipada, com alta abrangência, ou a utilização de artefatos publicitários, em qualidade e quantidade incompatíveis com os recursos apresentados na prestação de contas. Entendo que isso será avaliado atentamente pelo Ministério Público e pelos próprios candidatos que se sentirem prejudicados nessa vertente da igualdade de oportunidades”, ressalta o ministro. 
Propaganda em bens públicos e particulares 
É vedada a veiculação de propaganda de qualquer natureza, inclusive pichação, inscrição a tinta, colocação de placas, faixas, estandartes, cavaletes, bonecos e peças afins em bens em que o uso dependa de cessão ou permissão do poder público, ou que a ele pertençam. E ainda nos bens de uso comum, inclusive postes de iluminação pública, sinalização de tráfego, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus e outros equipamentos urbanos. Também é proibida a colocação de propaganda eleitoral em árvores e jardins localizados em áreas públicas, bem como em muros, cercas e tapumes divisórios. 
Já a propaganda em bens particulares não depende de licença municipal e de autorização da Justiça Eleitoral, desde que seja feita em adesivo ou em papel, não supere a meio metro quadrado e não contrarie a legislação eleitoral. A justaposição de adesivo ou de papel em que a dimensão exceda a meio metro quadrado configurará propaganda irregular, devido ao efeito visual único, mesmo que a publicidade, individualmente, tenha respeitado a dimensão prevista. 
A lei estabelece que a propaganda eleitoral em bens particulares deve ser espontânea e gratuita. Está proibido qualquer tipo de pagamento em troca de espaço para essa propaganda. 
Folhetos, adesivos e derrame de propaganda 
Também não é necessária licença municipal e de autorização da Justiça Eleitoral para veicular propaganda eleitoral por meio de folhetos, adesivos, volantes e outros impressos. Esses devem ser editados sob a responsabilidade do partido, da coligação ou do candidato. É facultada a impressão em braille de seus conteúdos.  
Todo material impresso de campanha terá que trazer o CNPJ ou o CPF do responsável pela confecção, bem como de quem a contratou, e a respectiva tiragem. O infrator que descumprir essa regra responderá pelo uso de propaganda vedada e, se for o caso, por abuso de poder. 
Ainda que feito na véspera da eleição, o derrame (ou a sua concordância) de material de propaganda no local de votação ou em áreas próximas se caracterizará como propaganda irregular. 
Propaganda na internet e telemarketing 
A propaganda eleitoral pela internet também está liberada a partir de 16 de agosto. A resolução do TSE afirma que a livre manifestação do pensamento do eleitor identificado na internet somente é passível de limitação quando ocorrer ofensa à honra de terceiros ou divulgação de fatos sabidamente inverídicos. É proibida a propaganda eleitoral paga na internet. 
Será possível fazer propaganda eleitoral na internet em sites do candidato, do partido ou coligação e por meio de mensagem eletrônica para endereços cadastrados gratuitamente pelo candidato, pelo partido ou coligação. E também por meio de blogs, redes sociais, sites de mensagens instantâneas e assemelhados, cujo conteúdo seja gerado ou editado por candidatos, partidos, coligações ou de iniciativa de qualquer pessoa natural. 
Não é admitida a propaganda eleitoral pela internet, ainda que gratuita, em sites de pessoas jurídicas, com ou sem fins lucrativos, e em sites oficiais ou hospedados por órgãos ou por entidades da administração pública direta ou indireta da União, estados, Distrito Federal e dos municípios. 
É livre a manifestação do pensamento, sendo proibido o anonimato na campanha eleitoral na internet. A lei assegura o direito de resposta, inclusive por outros meios de comunicação interpessoal mediante mensagem eletrônica. 
Sem prejuízo das sanções civis e criminais ao responsável, a Justiça Eleitoral poderá determinar, por solicitação do ofendido, a retirada de publicações que contenham agressões ou ataques a candidatos em sites da internet, incluindo redes sociais. É proibida a venda de cadastro de endereços eletrônicos. 
As mensagens eletrônicas enviadas por candidato, partido ou coligação, por qualquer meio, deverão conter mecanismo que permita ao destinatário se descadastrar, sendo o remetente obrigado a providenciar a retirada do nome em 48 horas. As mensagens encaminhadas após esse prazo sujeitam os responsáveis à multa de R$ 100,00 por mensagem. 
Quem fizer propaganda eleitoral na internet, atribuindo de forma indevida sua autoria a terceiro, inclusive candidato, partido ou coligação, será punido com multa de R$ 5 mil a R$ 30 mil, sem prejuízo das demais sanções legais cabíveis.  
Está proibida a propaganda eleitoral via telemarketing em qualquer horário. 
Na imprensa escrita
Até a antevéspera das eleições, pode haver a divulgação paga, na imprensa escrita, e a reprodução na internet do jornal impresso, de até dez anúncios de propaganda eleitoral, por veículo, em datas diversas, para cada candidato, no espaço máximo, por edição, de um oitavo de página de jornal padrão e de um quarto de página de revista ou tabloide. O anúncio deverá trazer, de maneira visível, o valor pago pela inserção. 
Está autorizada a reprodução virtual no site do próprio jornal de sua edição impressa, independentemente de seu conteúdo. No entanto, deve ser respeitado integralmente o formato gráfico e o conteúdo editorial da versão impressa.  
Não será tomada como propaganda eleitoral a divulgação de opinião favorável a candidato, partido ou coligação pela imprensa escrita, desde que não seja matéria paga. Porém, serão apurados e punidos os abusos e os excessos, assim como as demais formas de uso indevido do meio de comunicação.   
No rádio e na TV 
A partir de 30 de junho, as emissoras de rádio e televisão estão proibidas de transmitir programa apresentado ou comentado por pré-candidato, sob pena, no caso de sua escolha na convenção partidária, de aplicação de multa e de cancelamento do registro da candidatura de quem tenha se beneficiado. 
Já a partir de 6 de agosto, as emissoras ficam impedidas, em sua programação normal e noticiário, de veicular propaganda política e dar tratamento privilegiado a candidato, partido ou coligação, entre outras restrições. 
Debates 
Os debates veiculados nas emissoras de rádio e TV seguirão as regras estabelecidas por acordo feito entre os partidos e a pessoa jurídica interessada na realização do evento, além de ser necessário comunicar à Justiça Eleitoral com antecedência. Candidato na eleição proporcional (vereador) somente pode participar de apenas um debate na mesma emissora. 
Quando transmitidos na televisão, os debates deverão usar, entre outros recursos, subtitulação por meio de legenda oculta, janela com intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras) e autodescrição. 
No primeiro turno, o debate poderá ser feito até as 7h do dia 30 de setembro. E, em caso de segundo turno, até a meia-noite de 28 de outubro. 
Propagandas não toleradas 
A legislação proíbe propaganda de guerra, de processos violentos para subverter o regime, a ordem política e social, ou de preconceitos de raça ou de classes. Veda ainda o incitamento de atentado contra pessoa ou bens; caluniar, difamar ou injuriar qualquer pessoa, além de atingir órgãos ou entidades que exerçam autoridade pública; perturbe o sossego público; prejudique a higiene e a estética urbana, entre outras. 
Acesse aqui a íntegra da Resolução TSE nº 23.457/2015. 
EM/JP, TC
fonte:http://www.tse.jus.br/

Atenção Papais!! Importante que haja um limite de tempo para seus filhos jogarem "Pokemon Go"

filhos no pokemon
Pais de crianças que estejam engajadas na caçada a pokémons devem ter atenção ao tempo que as crianças passam jogando. A recomendação é da pediatra Ana Escobar. A especialista orienta que duas horas por dia é o tempo máximo que os pequenos devem gastar com dispositivos eletrônicos.
´Pokémon Go´ é um game gratuito de realidade aumentada para smartphones que usa o sistema de GPS dos aparelhos para fazer com os jogadores se desloquem fisicamente para conseguir capturar os monstrinhos. O jogo foi lançado no Brasil nesta quarta-feira (3).
Para Dra. Ana, uma das vangagens do ´Pokémon Go´ é o fato de o jogo estimular a atividade física, já que os jogadores têm de andar em busca dos pokémons. Ainda assim, é necessário ter disciplina para não deixar o jogo interferir em outras atividades importantes para as crianças.

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Convenção do PSD de Assú será amanhã quinta-feira

Patrício (à esquerda) e Breno

O Partido Social Democrático (PSD) de Assú realizará amanhã, quinta-feira (04) sua convenção municipal, momento em que serão deliberados assuntos como as coligações partidárias, escolha dos candidatos a prefeito, a vice-prefeito e a vereador.
Na oportunidade será oficializado o nome de Patrício Júnior como candidato a prefeito de Assú e do vereador Breno Lopes (PSB) como candidato a vice-prefeito.
A convenção será realizada a partir das 17h no ginásio de esportes da Escola Estadual Marcos Alberto de Sá Leitão, localizada à Rua Prof. Eufrosina Fernandes, s/n, bairro Novo Horizonte.

Pagamento de Servidores do RN será nessa Sexta-Feira

Será iniciado sexta-feira (5), o pagamento dos salários do mês de julho dos servidores estaduais do Rio Grande do Norte. 

O pagamento irá até o dia 12 de agosto e serão depositados de acordo com a faixa salarial, sem diferenciar servidores ativos e inativos. 

O calendário oficial de pagamento deverá ser divulgado ainda nesta segunda-feira.

terça-feira, 26 de julho de 2016

Aplicativo do Momento: Prisma

O Prisma é um app que tem ganhado destaque entre as ferramentas para transformar fotos em desenhos. Com texturas diversas, o aplicativo é gratuito e promete dar um visual mais artístico para imagens, alguns, inclusive, baseados em estilos de obras de arte famosas. 

A ferramenta de filtros e efeitos precisa de apenas alguns passos para deixar as fotos mais divertidas 
ou com aparência mais conceitual, como pinturas e gravuras.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Inscrições para FIES terminam hoje


O Ministério da Educação (MEC) encerra às 23h59 (horário de Brasília) desta quarta-feira (29) as inscrições no processo seletivo para 75 mil vagas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies ). As inscrições podem ser feitas pelo site http://fiesselecao.mec.gov.br .

A primeira e única chamada do sistema de seleção do Fies vai ser divulgada no dia 30 de junho, assim como a lista de espera dos candidatos não convocados. Os estudantes pré-selecionados na chamada única poderão concluir a inscrição no Sisfies no dia 1° de julho.

Antes de fazer a inscrição, o candidato deve consultar as vagas em seção específica do portal . É possível fazer a busca por curso, instituição ou município. O sistema disponibiliza detalhes como grau (bacharelado, por exemplo), turno, conceito do curso, mensalidade para o Fies, número de vagas e nota de corte.

O número de vagas no Fies sofre queda desde 2015. Em 2014, foram financiados 732 mil contratos. Em 2015, o número de vagas caiu para 278 mil. No primeiro semestre deste ano foram disponibilizadas 147 mil vagas.

Cursos prioritários

O MEC decidiu reduzir o percentual de contratos que deveriam ser fechados exclusivamente com estudantes das áreas de saúde, engenharia e licenciatura. Antes, essas áreas recebiam 70% dos financiamentos. A partir desta edição, o percentual será reduzido para 60%.

Ainda dentro de cada uma das subáreas haverá nova divisão:

- Cursos prioritários da área de saúde passam de 45% para 50%;

- Cursos prioritários da área de engenharia passam de 35% para 40%;

- Cursos prioritários da área de licenciatura, pedagogia e "normal superior" caem de 20% para 10%.

Além disso, segundo o MEC, está prevista nova etapa de inscrição para vagas remanescentes com prazo específico para estudantes inscritos e não aprovados.

Calendário Fies

Inscrições: 24 a 29 de junho

Resultado da seleção: até 30 de junho

Inscrições no sistema em única chamada: 1º de julho

Lista de espera: 4 de julho a 10 de agosto

Contato para dúvidas

Mais informações podem ser obtidas pelo site do Fies , por autoatendimento via formulário ou pelo telefone 0800-616161.

A partir desta quinta Pré-candidatos não poderão apresentar programas de rádio e TV


A partir de quinta-feira (30), as emissoras de rádio e televisão não poderão transmitir programas que sejam apresentados ou comentados por pré-candidatos às eleições municipais deste ano. A data está prevista no calendário eleitoral, aprovado por uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral.
Caso a regra seja descumprida e o pré-candidato seja escolhido na convenção do partido para concorrer às eleições, a emissora e o candidato poderão ser penalizados. Segundo o calendário eleitoral, as penalidades estão previstas em leis.
O texto diz que, a partir desta data, é "vedado às emissoras de rádio e de televisão transmitir programa apresentado ou comentado por pré-candidato, sob pena, no caso de sua escolha na convenção partidária, de imposição da multa prevista no parágrafo 2º do Artigo 45 da Lei nº 9.504/1997 e de cancelamento do registro da candidatura do beneficiário (Lei nº 9.504/1997, Artigo 45, parágrafo 1º)".
Agência Brasil

Assú é apontado pelo Ministério Público Federal como o 3° Município mais transparente do RN

O Ministério Público Federal divulgou no dia 8 de junho, a nova classificação do Mapa da Transparência. Nesta nova avaliação Assú ocupa a terceira posição entre os 167 municípios do estado.
Numa escala de 0 a 10, o Índice Nacional de Transparência é de 5,21, o índice médio estadual é de 4,68. Assú, que na primeira avaliação estava com 7.8, agora está com o índice 9.3, alcançando a maior média do estado. O Prefeito Ivan Junior destacou que esta posição de Assú no Mapa da Transparência é reflexo da seriedade com que a administração municipal trata os bens e os recursos públicos. "Essa classificação reflete o trabalho que a Prefeitura do Assú vem desenvolvendo na gestão do bem público e o compromisso em tornar todas as informações acessíveis aos cidadãos", destaca o prefeito.
A avaliação realizada pelo MPF se baseou em questionário desenvolvido pela Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro (Enccla), que selecionou as principais exigências legais e itens considerados boas práticas. Foram avaliados portais de 5.567 municípios, 26 estados e o Distrito Federal. A análise mensura o grau de cumprimento de leis referentes à transparência no Brasil.

fonte: SEACOM