quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Vídeo! Senador recrimina Rafinha Bastos e convoca o Ministério Público

Vídeo! Senador recrimina Rafinha Bastos e convoca o Ministério 
Público - Reprodução

      A piada que Rafinha Bastos fez com a cantora Wanessa e o bebê que ela espera ainda está rendendo e deve continuar dando pano pra manga. Além de ter sido suspenso da bancada do CQC no programa de segunda-feira(3), o humorista pode ter problemas mais sérios. O Senador Magno Malta, do PR do Espírito Santo, repudiou de forma enérgica o comentário de Rafinha, durante seu discurso no Senado na tarde de quarta-feira (5).

    Malta, famoso por sua luta contra a pedofilia, se disse indignado com a piada de péssimo gosto.

“Esse rapaz fez uma piada de mau gosto com uma mãe e com seu bebê, que ainda nem nasceu. Uma piada macabra, sinistra”, disse o senador durante seu discurso.

     O político ainda fez questão de ressaltar que Marcus Buaiz, marido de Wanessa, é de uma família tradicional e influente de seu estado, e que tem obrigação de se solidarizar com o jovem pai e também com Zezé di Camargo, pai da cantora.

“A Wanessa Camargo é filha de um amigo pessoal meu. Admiro muito o Zezé. Por isso, quero me solidarizar com você Zezé, com sua família, com a família Buaiz, com Marco Buaiz, e quero repudiar a atitude desse jornalista”, disparou Malta no plenário.

     Por fim, o Senador se dirigiu ao Ministério Público de São Paulo, ao Procurador Geral de São Paulo e disse que o jornalista precisa explicar sua expressão.

“Quando trata de uma criança, “comer um bebê” significa um estupro de vulnerável, e isso é preciso que se trate em delegacia especializada”, disparou o Senador, bastante exaltado.

    Magno Malta ainda aconselha Buaiz a contratar um advogado e ir até as últimas conseqüências desse fato, para esse tipo de coisa não se repita.

“Entre na justiça contra esse jornalista, Marco Buaiz, para que seu filho, ao nascer, não cresça sabendo que você foi um covarde e que não reagiu. Liberdade de expressão tem limite”, afirmou Malta, indignado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário