quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Estudo mostra que a matemática não tem sexo

    O maior estudo já feito até agora sobre o tema em todo o mundo acaba de derrubar de vez uma das mais arraigadas crenças da educação: a de que mulheres têm menos capacidade de lidar com números do que os homens devido a uma diferença biológica.
    Em estudo publicado na “Proceedings of The National Academy of Science” (PNAS), os cientistas trabalharam com dados provenientes de 86 países e não encontraram nada que sustentasse, com base científica, a generalizada ideia, segundo Janet Mertz, da Universidade de Winsconsin-Madison, uma das autoras do trabalho.
    O que os especialistas encontraram para justificar eventuais diferenças foram fatores sociais e culturais que influenciam as opções feitas pelos sexos, mas nada de ordem física.  
    Com base em dados internacionais, os autores do novo estudo observaram que a maior presença masculina em grandes feitos matemáticos não é necessariamente comum a todos os países e está diretamente relacionada à cultura, não a fatores fisiológicos.
    A conclusão é que nos países onde há mais igualdade entre os gêneros o desempenho na matemática tende a ser similar .
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário