domingo, 25 de março de 2012

A Igreja Católica tenta ganhar espaço em Cuba


    Segundo o governo quer deixar clara a mensagem de um país em transição, onde a Igreja Católica e seu maior representante são bem-vindos.
    E  a preocupação com o potencial uso político da visita do Papa, que marca os 400 anos da descoberta da imagem da Virgem da Caridade do Cobre, padroeira de Cuba, é grande. O número dois do Vaticano, cardeal Tarcísio Bertone, afirmou que a passagem do Pontífice ajudará a promover a democracia na ilha e disse não acreditar que a visita será explorada pelo governo.
    Mesmo assim,a  demonstração de boa vontade do regime não é à toa. Nos últimos anos, estreitou-se o relação entre o governo e a Igreja Católica. Em um país onde o Estado começa, aos poucos, a reduzir subsídios, a Igreja tem assumido cada vez mais a rede de proteção social. Nas paróquias, proliferam restaurantes populares, aulas de informática, cultura geral e até de economia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário