quarta-feira, 4 de abril de 2012

Chinês ativista faz próprio big brother em sua casa em protesto ao governo

      O ativista cansado de lutar contra o governo chinês, que tenta acompanhar cada movimento seu, o artista plástico e dissidente Ai Weiwei resolveu radicalizar: agora, ele transmite, em um site, cada momento da sua vida em Pequim, por meio de quatro câmeras que funcionam 24 horas por dia.

     
        Segundo o ativista, isso os faça felizes porque eles podem me ver. Talvez isso os faça pararem de me perseguir o tempo todo, sempre que eu estou no parque com a minha família — afirmou ao “Times” o artista plástico chinês. — Porque isso não é legal. Este país tem uma economia e um Exército fortes. Por que precisa se preocupar comigo?
      E o Weiwei lança o site um ano após ter sido sequestrado e preso secretamente por autoridades chinesas, que o mantiveram por dias sem contato exterior. Na época, a falta de informações sobre o paradeiro do artista causou comoção internacional. Depois de quase três meses preso, Weiwei foi condenado por evasão fiscal e agora cumpre a sentença em liberdade condicional, que o impede de sair de Pequim até junho.