quarta-feira, 28 de novembro de 2012

8 cidades do RN correm risco de Epidemia de Dengue

        Oito municípios do Rio Grande do Norte correm risco de ter uma epidemia de dengue a qualquer momento e a pior situação é a de Campo Redondo, na região do Agreste, a 136 quilômetros de Natal. Com índice de infestação predial de 12,1%, Campo Redondo divide o quarto lugar com Cafarnaum/BA no ranking dos piores do Brasil. A informação é do Ministério da Saúde e consta de balanço divulgado ontem em Brasília. Este ano, o governo federal ampliou a pesquisa sobre a dengue e usou o LIRAa - Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti - realizado em 1.239 municípios. Campo Redondo só perde para Itabuna/BA, com 18,4, Emas/PB 14,1 e Calumbi/PE, 12,4.

         Na lista de risco estão também Santa Cruz, São Paulo do Potengi, Jardim do Seridó, Mossoró, Parelhas, Brejinho e Pau dos Ferros. Nestas cidades vivem 400 mil habitantes. O levantamento inclui em situação de alerta os municípios de Ceará-Mirim, Caicó, Cruzeta e Jaçanã. De acordo com dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde, até o dia 6 de outubro, o Rio Grande do Norte havia notificado 31.548 casos suspeitos de dengue, dos quais 11.210  confirmados.

        Os municípios classificados como de risco apresentam larvas do mosquito em mais de 3,9% dos imóveis. É considerado estado de alerta quando menos de 3,9% dos imóveis pesquisados têm larvas do mosquito, sendo índice é satisfatório quando está abaixo de 1% de larvas do Aedes aegypti.

           Durante a apresentação do levantamento, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, fez um alerta para que os novos prefeitos não descuidem das medidas de prevenção e controle da dengue. "Nós fazemos um alerta e um pedido para que os prefeitos municipais, nesse período de transição, não deixem de dar continuidade às ações de combate à dengue. O LIRAa é uma espécie de fotografia da dengue nos municípios, mas o risco persiste e a ação deve ser redobrada nesse período de maior ocorrência da doença", afirmou o ministro.

         No Brasil são 77 os municípios em risco de epidemia. "O alerta se mantém. O perigo de uma epidemia da doença persiste", avaliou o secretário de Vigilância do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa. Ao todo, 12 capitais do País estão em situação de risco ou alerta para a doença.

            O ministro Padilha lembrou que nos últimos três anos, os recursos para  ações de vigilância, o que inclui o controle da dengue, apresentaram  evolução. Em 2010, o Ministério da Saúde transferiu para os estados e municípios R$ 1,05 bilhão, em 2011 foram R$ 1,34 bilhão e neste ano o montante previsto é de é R$ 1,72 bilhão. Esses recursos são utilizados pelos estados e municípios no financiamento das atividades essenciais para o controle da dengue, como a visita dos agentes de saúde, compra de equipamentos e treinamentos de pessoal.

           Como parte das medidas de combate à dengue, o Ministério da Saúde também fez a distribuição 450 mil exemplares (bolso e mesa) da classificação de risco do paciente com dengue. Com este instrumento, profissionais da saúde tem mais facilidade para o atendimento e orientação aos pacientes. Também foi realizada a capacitação, em larga escala, dos profissionais de saúde, por meio da estratégia "Dengue em 15 minutos". A capacitação promove a atualização do conhecimento dos profissionais de saúde pelo ensino a distância da Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (Unasus).
 

 


 
Fonte: Tribuna do Norte

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário